Séries Especiais - Ortopedia

Dor no Ombro e o ambiente de trabalho

Regras simples otimizam o uso do computador e ajudam a prevenir lesões causadas por esforços repetitivos

A complexidade do funcionamento do ombro, com seu grupo de músculos e tendões que permitem a flexibilidade e movimentação dos braços, é também a razão pela qual muitas pessoas sofrem de dores e lesões.

Em muitos casos, dores de ombro são causadas por movimentos repetitivos ou inapropriados por um longo período de tempo. Esportes e profissões que requerem força e extensão excessiva dos braços, por exemplo, são fatores de risco.

Mas há outros, mais sutis, em ambientes aparentemente insuspeitos, como em escritórios. Sim, pequenas atividades repetitivas no dia a dia têm potencial de, no longo prazo, causarem um efeito cumulativo que resulta nas conhecidas lesões por esforço. Boa parte delas, causadas, como se sabe, pelo uso prolongado de computadores e mobiliário inadequado, não ergonômico.

O sedentarismo prolongado também é fator a ser observado. Mas há como adotar medidas que, se colocadas em prática no cotidiano, reduzem o risco de lesões por esforço repetitivo nos ambientes de trabalho e as dores no ombro.

Causas de dores crônicas no ombro

Dores no ombro podem ser leves, mas podem também indicar algo mais sério. Para evitar que o que é tratável se torne crônico, ao primeiro sinal de que algo não vai bem, procure o ortopedista.

Uma das características de dores no ombro é o seu desenvolvimento gradual. Além de alguns esportes e profissões de risco, outras fontes potencialmente causadoras da dor podem ser:

  • má postura
  • trabalhos que exijam demasiada elevação dos braços
  • estresse de contato mecânico, causado por descansar os pulsos em uma borda dura da mesa enquanto se digita
  • trabalhos no qual o corpo “vibre” em demasia, (ex: mecânicos, motoristas de ônibus ou caminhões, operadores de máquinas)
  • carga estática, quando os músculos precisam manter o corpo em uma posição por um longo tempo
  • exposição prolongada a altas temperaturas.

Prevenção

Especialistas afirmam que o simples ato de mudar de posição ativa outros grupos de músculos, o que é saudável; assim, tente não ficar na mesma posição por muitas horas. Na medida do possível tente reduzir o nível de estresse com que a jornada de trabalho por vezes sobrecarrega o corpo.

Atenção à postura corporal é um bom princípio para evitar o surgimento de dores crônicas no ombro. Note-se, também, que à medida que o dia avança e o cansaço “bate”, o relaxamento natural pode provocar posturas inadequadas – nesse sentido, redobre a atenção no trabalho. O mais recomendado é manter a postura adequada durante a atividade e dar uma pausa de preferência a cada uma hora na tarefa repetitiva.

Otimize o ambiente de trabalho

Ambientes ergonômicos, com equipamentos e mobiliário funcionais adequados ao corpo humano e hábitos saudáveis ajudam na prevenção de lesões no ombro originárias em ambientes de trabalho. Portanto, quem trabalha em mesas, deve tentar observar alguns aspectos importantes.

Configure seu espaço de trabalho

  • ao sentar, a mesa deve estar na altura dos cotovelos – se estiver muito alta, pode promover a fadiga dos ombros
  • o monitor deve ficar à distância de um braço, aproximadamente, e a tela, um pouco abaixo do nível dos olhos. E ambos, centralizados
  • objetos e acessórios de uso constante devem permanecer ao redor; evite viradas e torcidas bruscas de corpo
  • se a atividade profissional envolver conversas constantes ao telefone, considere usar um fone de ouvido, para evitar passar o aparelho de uma mão à outra, ou mesmo pendurá-lo entre o ombro e o ouvido. Com o fone, é possível falar e continuar teclando.

Mude hábitos

  • para o uso do mouse, tente mudar de mão – a intenção é aliviar a carga na mão habitual

  • igualmente, faça pequenos intervalos de 30 segundos a cada meia hora, levantando da cadeira
  • relaxe olhos, cabeça e pescoço focando a visão, por alguns momentos, em objetos a uns 20 metros de distância
  • a cada duas ou três horas permita-se um curto intervalo, levante e dê uma caminhada de cinco a dez minutos. Ou até mais longas (no horário do almoço, por exemplo)

Peça ajuda

Na dúvida, não force a barra em atividades passíveis de traumas e lesões. Por exemplo, caso tenha que erguer um objeto excessivamente pesado, não hesite em solicitar uma ajuda.

Ao sentar

Mantenha a postura correta

  • os pés devem estar firmes no solo
  • os cotovelos devem permanecer junto ao corpo
  • pernas e mãos, sempre alinhadas ao antebraço
  • de preferência, os ombros devem permanecer relaxados
Terapias como ioga e tai chi são extremamente eficazes na educação postural.

Clique aqui e veja mais artigos da Série Ombro

About the author

Dr. João Roberto Polydoro Rosa

Dr. João Roberto Polydoro Rosa

Graduado em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP) em 2006. É Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia(SBOT), da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Ombro e Cotovelo (SBCOC) e da Sociedade Brasileira de Artroscopia e Trauma do Esporte (SBRATE).
Faz parte do Grupo de Trauma do Esporte da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. É Cirurgião de Ombro e Cotovelo do núcleo avançado dos hospitais, Sírio Libânes e Oswaldo Cruz.
Diretor clínico do Instituto Pecchia & Polydoro.
Clínica SO.U – Unidade Bela Vista
R. Barata Ribeiro, 398 - 3º andar - Bela Vista, São Paulo - SP, 01308-000
Tel.: +55 (11) 3258-1706
http://www.clinicasou.com.br

Adicionar Comentário

Click here to post a comment

Notícias do dia

Clínica SO.U – acesse o site

Clínica SOU - ortopedia