Coronavírus

Remdesivir: uma nova esperança contra o COVID-19

Nova esperança contra Coronavírus cientista no microscópio - foto criada por pressfoto freepik

Revista Nature anuncia pesquisa com droga eficiente contra o COVID-19 

Uma das mais renomadas revistas científicas do mundo, a britânica Nature, divulgou um artigo que uma droga experimental pode encurtar o tempo de recuperação da infecção do Coronavírus. Chamada Remdesivir, a droga impede a proliferação de alguns vírus, como SARS-CoV-2, responsável pela atual pandemia.  No último dia 29 de abril, o doutor Anthony Fauci, diretor do US National Institute of Allergy and Infectious Diseases (NIAID), anunciou que testes clínicos em mais de mil pessoas acometidas por COVID-19 mostraram que aqueles que tomaram Remdesivir recuperaram-se em média em onze dias, comparados aos 15 dias dos que tomaram placebo.

“Ainda que isso não signifique 100% um nocaute contra a doença, é uma prova muito importante do conceito: ficou provado que essa droga pode bloquear o vírus”, comentou o cientista.

Dr. Fauci também afirma que houve menos mortes entre os participantes ministrados com a droga, mas numa estatística insignificante. O período de recuperação, por outro lado, foi significante o suficiente a ponto de a equipe médica parar a pesquisa e ministrar Remdesivir também àqueles que estavam recebendo placebo. 

“Agora, todo nosso foco está voltado para o Remdesivir porque, potencialmente, é o melhor que temos até o momento”, pontuou o virologista Stephen Griffin, da University of Leeds, Inglaterra.

A notícia surge na esteira de uma semana de vazamento de outros dados sobre a droga. O fabricante, Gilead Sciences, de Foster City, na Califórnia, anunciou no mesmo dia que, de acordo com suas próprias pesquisas, 400 participantes de seus testes haviam se recuperado de severos sintomas de COVID-19 após duas semanas recebendo tratamento com Remdesivir, mas admitindo também não ter praticado a pesquisa com placebo. E ainda no mesmo dia 29 de abril, a China anunciou uma pesquisa de menor dimensão que não comprovou os efeitos positivos da droga, comparada ao placebo – mas os pesquisadores chineses admitiram que sua pesquisa foi interrompida, por falta de participantes.

Ainda assim, analistas e cientistas estão esperançosos de que a pesquisa em maior escala realizada pelo NIAID seja o primeiro vislumbre de uma resposta na corrida contra o Coronavírus.

Foto ilustrativa

A agencia americana FDA (Food and Drug Administration), de atuação similar à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), já avalizou o medicamento nos EUA, que não tem distribuição prevista no Brasil.

Atualização 04 de maio de 2020 : esta história foi atualizada para observar que, em 1º de maio, as autoridades reguladoras dos EUA concederam autorização de ‘uso de emergência’ ao Remdesivir para uso em pessoas com COVID-19 grave.

Referência:

Artigo completo Revista Nature 

About the author

Redação SO.U Movimento

Redação SO.U Movimento

Portal de Notícias sobre esporte, saúde, e bem-estar.
Uma fonte de Informações a partir de pesquisas científicas nas áreas de ortopedia, medicina esportiva, fisioterapia e tratamentos coadjuvantes.

Adicionar Comentário

Click here to post a comment

Notícias do dia

Clínica SO.U – acesse o site

Clínica SOU - ortopedia