Séries Especiais - Ortopedia

Síndrome do Ombro de Nadador 

Também conhecida como Síndrome do Impacto do Ombro

A Síndrome do Impacto do Ombro é uma causa comum de dores no ombro. É também chamada de Síndrome do Ombro de Nadador, por atingir atletas de natação. Cerca de 90% das queixas dos nadadores estão relacionadas ao ombro. Idosos também podem desenvolver essa síndrome.

Problema no Manguito Rotador pode levar à inflamação dos tendões, resultando em dores e desconfortos.

O Manguito Rotador é um grupo muscular composto por tendões, que liga o osso do braço ao ombro. Localizado na região denominada acrômio, próxima à axila, é ele o responsável pela sustentação e rotação do braço. Nesse contexto, a síndrome do impacto do ombro se dá quando os tendões do manguito rotador colidem, ou raspam o acrômio. Nesse caso, a pressão do contato irrita o manguito rotador. Os tendões inflamam, resultando em dor, fraqueza e, em alguns casos, perda dos movimentos do ombro.

Causas

O maior fator de risco é a prática de esportes com movimentação que requer a elevação ou extensão demasiada dos ombros, casos da natação, tênis, basquete e baseball.

Trabalhos braçais em construção civil, pintura, marcenaria, operador de máquinas, ou mudanças, que demandam o manejo de objetos pesados, também constituem risco. Ocorre também pelo desgaste referente à idade, ou contusões prévias, como luxações.

Sintomas

O mais característico sintoma da síndrome do impacto é a dor repentina no ombro, ao levantar o braço acima da cabeça.

Mas há outros tipos de dor:

  • leve, mas constante na lateral do braço
  • que percorre a parte da frente do ombro para o lado do braço
  • na região do ombro que piora à noite
  • e sensação de fraqueza no braço ou no ombro.

A maioria dos casos advém de esforços repetitivos. Esses movimentos podem causar o inchaço dos tendões, levando-os a colidir com a parte superior do osso do ombro.

Diagnóstico

No consultório, o médico ortopedista começará pelo histórico da pessoa. A seguir, para eliminar outras possíveis origens da dor, solicitará que sejam executados uma série de movimentos com o ombro.

Um raio-x será solicitado. Se o especialista achar que há uma lesão mais séria no manguito rotador, ou se ainda não conseguir fazer o diagnóstico, poderá usar o USG, no consultório, durante o atendimento e solicitar uma ressonância magnética para ter uma visão melhor do ombro.

Tratamento

O tratamento da Síndrome do Impacto do Ombro dependerá do grau da lesão e do desconforto. Em casos leves o médico recomendará alguns tratamentos em casa.

Em casa

Em casos confirmados de Síndrome do Impacto do Ombro, repouso é fundamental. Assim, como regra inicial do tratamento, o paciente deve evitar quaisquer movimentos que possam piorar a dor – especialmente se for atleta. Aplicações de gelo, 10 a 15 minutos, algumas vezes ao dia, reduzem a inflamação e a dor.

Importante: o braço não deve ser imobilizado, para evitar o endurecimento do ombro.

Fisioterapia

Casos de Síndrome do Impacto do Ombro costumam responder bem à fisioterapia. Utilizando exercícios suaves, o fisioterapeuta trabalhará os músculos do ombro, braço e peito, para melhorar o funcionamento do manguito rotador, e, por consequência, a força e a amplitude de movimentos. Atletas e trabalhadores braçais serão orientados a uma série de técnicas e exercícios leves, para fazer em casa e, assim, minimizar as chances de recorrência.

Medicamentos

Anti-inflamatórios, acompanhados de repouso e aplicações de gelo, reduzem tanto o inchaço como a dor no ombro. Caso isso não aconteça, o médico ortopedista eventualmente pode solicitar a aplicação de injeções.

Cirurgia

Quando a Síndrome de Impacto do Ombro não responde a outros tratamentos, há boas chances do caso ser cirúrgico, para possibilitar a ampliação do espaço ao redor da região do manguito rotador.

A intervenção é denominada de Artroscopia, que é minimamente invasiva. Entretanto, essa opção só é levada em conta em casos muito raros, nos quais a síndrome do impacto do ombro é tão severa que causa o rompimento do manguito rotador.

Clique aqui e veja mais artigos da Série Ombro

About the author

Dr. João Roberto Polydoro Rosa

Dr. João Roberto Polydoro Rosa

Graduado em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP) em 2006. É Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia(SBOT), da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Ombro e Cotovelo (SBCOC) e da Sociedade Brasileira de Artroscopia e Trauma do Esporte (SBRATE).
Faz parte do Grupo de Trauma do Esporte da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. É Cirurgião de Ombro e Cotovelo do núcleo avançado dos hospitais, Sírio Libânes e Oswaldo Cruz.
Diretor clínico do Instituto Pecchia & Polydoro.
Clínica SO.U – Unidade Bela Vista
R. Barata Ribeiro, 398 - 3º andar - Bela Vista, São Paulo - SP, 01308-000
Tel.: +55 (11) 3258-1706
http://www.clinicasou.com.br

Adicionar Comentário

Click here to post a comment

Notícias do dia

Clínica SO.U – acesse o site

Clínica SOU - ortopedia