Séries Especiais - Ortopedia

Tratamento conservador dá resultado e pode conter a evolução da Escoliose

De acordo com a literatura a respeito, o tratamento depende de vários fatores, entre eles o grau de curvatura da coluna. Além disso é preciso avaliar a idade, a maturação do esqueleto e do corpo -se a pessoa continuará crescendo -, o tipo e o local de curvatura, e se a curva é estruturada ou não.

Segundo a Scoliosis Research Society (SRS)Sociedade de Pesquisa em Escoliose, o uso do colete é recomendado se o paciente estiver em crescimento, com baixa maturidade esquelética e apresentar uma escoliose entre 25 a 40 graus. O objetivo principal não é corrigir consideravelmente a curva e sim evitar que ela evolua. É orientado o uso da órtese de 16 a 23 horas por dia até que o jovem pare de crescer.

Fisioterapia

Desde 2016 a SOSORT – International Society on Scoliosis Orthopaedic and Rehabilitation Treatment – Sociedade Internacional de Tratamento Ortopédico e Reabilitação da Escoliose, passou a recomendar exercícios fisioterápicos específicos para escoliose, para serem realizados juntos com a observação e o tratamento com coletes. Também conhecidos como exercícios científicos para escoliose, têm se mostrado eficientes na diminuição da progressão do problema.

Cirurgia

A cirurgia, por sua vez, geralmente é indicada para pessoas com curvas acima de 50 graus, porém pode ser indicada a partir de 40 graus em pacientes com baixa maturidade óssea e com grande potencial de crescimento.

A fusão da coluna vertebral, também chamada de artrodese, é a cirurgia padrão para o problema. Neste procedimento, o médico realiza uma correção da escoliose e estabiliza a coluna, utilizando hastes e parafusos. Além disso realiza uma raspagem das vértebras envolvidas e coloca um enxerto ósseo sobre elas. O enxerto ósseo consiste em osso ou em um material de características semelhantes. O objetivo é que os parafusos e as hastes segurem a correção da escoliose até que o enxerto ósseo e as vértebras possam se fundir em um único osso.

Em pacientes muitos novos, abaixo de 8 a 9 anos, realizar a fusão vertebral não é recomendado, pois a área do pulmão não está totalmente desenvolvida. Nestes casos pode-se utilizar hastes ajustáveis, permitindo o crescimento da coluna vertebral. Após o crescimento desejado, realiza-se a fusão definitiva.

Perspectivas

Com tratamento, observação e acompanhamento com o médico, a maioria das crianças e adolescentes com escoliose tem uma vida ativa normal.

As perspectivas de longo prazo para escoliose dependem da gravidade da curvatura. Para casos leves a moderados, a condição não interfere nas atividades e funções diárias. Porém, indivíduos com formas graves de escoliose podem ter limitações físicas e respiratórias.

Por isso, é importante: se você acha que tem alguns dos sintomas, procure o ortopedista o quanto antes.

Veja a série completa

About the author

Dr. José Thiago Portela Kruppa

Dr. José Thiago Portela Kruppa

Ortopedista e Cirurgião de Coluna pela Santa Casa de São Paulo
Especialista em deformidades da coluna vertebral
Médico do Grupo de Coluna da Escola Paulista de Medicina
Chefe do Grupo de deformidades da coluna do Hospital Geral de Guarulhos
Cirurgião de Coluna da Clínica SO.U

Adicionar Comentário

Click here to post a comment

Notícias do dia

Clínica SO.U – acesse o site

Clínica SOU - ortopedia